Por que comprar produtos produzidos na Amazônia?

Por que comprar produtos produzidos na Amazônia?

Saiba o impacto dos produtos que você compra.


Rico em biodiversidade, o bioma amazônico é uma região com grande potencial econômico, justamente por oferecer matéria prima em quantidade e diversidade. Isso atrai diversas empresas e investidores com a intenção de movimentar e multiplicar essa potência. Mas você sabe qual o impacto do consumo de produtos que vêm da Amazônia? Descubra a seguir!

Olhar para o ambiente e para as pessoas

Os recursos naturais únicos encontrados na Amazônia podem ser transformados em uma variedade de produtos valiosos, desde alimentos até produtos farmacêuticos e cosméticos. No entanto, não são todas as atividades que podem ser realizadas, já que é preciso preservar o funcionamento do bioma. Trazer espécies de flora e animais desconhecidos pode causar um desequilíbrio permanente.


Além disso, a extração e o manuseio de insumos que têm origem na floresta devem ser feitos por comunidades que também fazem parte do ecossistema. São pessoas que, muitas vezes, têm a subsistência baseada nesses produtos e sabem melhor do que ninguém como fazer bom uso deles mantendo a saúde e produtividade das espécies.


Desenvolver negócios na Amazônia de forma sustentável é uma forma de promover o empoderamento das comunidades locais a partir da geração e formalização de empregos que, consequentemente, geram mais renda e melhoram a qualidade de vida.

Do Brasil para o Mundo

Comprar aquilo que vem da Amazônia também significa fortalecer o mercado nacional e possibilitar a exportação das nossas riquezas para todo o mundo. Com esse movimento cada vez mais ativo, as oportunidades de investimento se tornam mais frequentes e nossos produtos mais valorizados.


Em 2021, as extrações de castanha, cumaru e copaíba, realizadas por indígenas, quilombolas e assentados, na região conhecida como Calha Norte do Rio Amazona, movimentaram, em recursos advindos da comercialização, cerca de R$ 530.000,00 com a produção desses grupos, segundo números do Florestas de Valor (Imaflora).


Além de terem efeitos comprovados para suprir a demanda do mercado de cosméticos mundial, ingredientes amazônicos contam com propriedades terapêuticas e aromas inigualáveis. Essas são  características valorizadas pelos difíceis de encontrar/reproduzir em outros locais. 

Ciência verde e alta performance

A tecnologia tem um papel essencial quando se trata da extração de recursos da Amazônia de forma inteligente. A biotecnologia permite alcançar os resultados desejados com a menor quantidade de recursos possível. Isso acontece a partir da biodisponibilidade, ou seja, maior absorção dos ativos pela pele.


Conforme o avanço da ciência verde, a produção de cosméticos se atualiza na busca de insumos não madeireiros cuja extração causa menos impacto. O cacay é um exemplo disso: o insumo é extraído da semente do fruto e o replantio é mais rápido e simples do que uma árvore de grande porte, por exemplo. 
No Brasil, a economia de produtos florestais não madeireiros movimenta mais de R$ 1,5 bilhão por ano, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Consumir produtos frutos de uma cadeia produtiva que faz bem para o meio-ambiente também faz parte de um propósito maior. Fazer o bem para o planeta também significa fazer bem para si mesma. Afinal, nossa pele e organismo sofrem impactos diretos do ambiente em que vivemos.


FONTES: Imaflora ; Exame.

Posts relacionados


×